Notícias

Deputado paraense pede à Justiça Federal retirada de Jader Barbalho da CPI da covid-19

Éder Mauro alega que senador não pode compor comissão em que o filho Helder Barbalho deverá ser investigado

Nesta terça-feira, 27, o deputado federal Delegado Éder Mauro, entrou com uma ação popular na Justiça Federal, em Brasília, pedindo a suspensão dos senadores Jader Barbalho (MDB/PA) e Renan Calheiros (MDB/AL), da lista que compõe a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19.

De acordo com o deputado, “ambos com filhos governadores envolvidos em casos que a CPI da covid está investigando”, não podem estar à frente da comissão. “É como colocar um ‘ladrão de galinha’ para tomar conta do galinheiro”, diz o delegado.

“O princípio da moralidade está sendo severamente afetado ante chancela do nome dos Senadores Jader Barbalho e Renan Calheiros para atuarem como membro suplente da CPI, uma vez que possuem filhos governadores de estado que receberam recursos federais para o combate a pandemia e, inevitavelmente, serão alvo dos trabalhos desta mesma Comissão. Restando evidente que atuarão em total conflito de interesses e em situação de total parcialidade em relação ao seu ente”, retrata trecho do documento protocolado pelo deputado.

Na CPI, Jader ocupa a função de 1º suplente e Renan Calheiros, de titular.

CPI

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) tem como objetivo investigar as possíveis irregularidades em contratos, fraudes em licitações, superfaturamentos, desvio de recursos públicos, assinatura de contratos com empresas de fachada para prestação de serviços genéricos ou fictícios, entre outros ilícitos, se valendo para isso de recursos originados da União Federal, bem como outras ações ou omissões cometidas por administradores públicos federais, estaduais e municipais, no trato com a coisa pública, durante a vigência da calamidade originada pela Pandemia do Coronavírus “SARSCoV-2”.

Fonte da Matéria: Roma News

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo