Ethereum

Ethereum passará por atualização no final do mês; entenda o que muda

Desenvolvedor brasileiro que já passou pela ConsenSys explica o que significa a nova atualização do ETH

O Ethereum (ETH) se prepara para passar por uma nova atualização no final deste mês. A Fundação Ethereum confirmou na terça-feira (5) que o upgrade Altair será ativado na rede principal da criptomoeda dia 27 de outubro.

Diferente da última atualização London do ETH que focou no sistema de taxas da rede, a Altair vai trazer melhorias para a Beacon Chain, a cadeia que prepara o ecossistema da moeda para a chegada do Ethereum 2.0. 

A nova versão do ETH, prevista para chegar no início do ano que vem, vai introduzir na rede o consenso de prova de participação (PoS) e colocar um fim na mineração tradicional baseada atualmente na prova de trabalho (PoW).

Quando a Altair foi anunciada pela primeira vez em março, a Fundação Ethereum explicou que ela seria uma “atualização de aquecimento” para a Beacon Chain. 

Embora o sistema de prova de participação do Ethereum tenha funcionado perfeitamente desde a fase 0

— quando a Beacon Chain foi ativada na rede principal em dezembro de 2020 —, os desenvolvedores explicam que era importante passar por uma atualização para testar e preparar suas bases de código para a chegada do Ethereum 2.0.

Segundo a Fundação Ethereum, a Altair traz suporte a light clients (clientes de uso simplificado, que não participam da validação ou consenso), pequenas alterações no modelo de incentivo, e aumento dos valores cobrados em penalidades aos operadores de nodes caso fiquem off-line.

O desenvolvedor brasileiro Gabriel Barros, especialista em Ethereum que já trabalhou pela ConsenSys, explicou ao Portal do Bitcoin o que essas mudanças significam para a rede:

“A Altair traz algumas melhorias e ajustes que são discutidos há vários meses. O que tem de diferente agora são os ajustes simples no consenso; Isso quer dizer que poderão testar na mainnet um processo similar ao ‘The merge’, onde a Beacon Chain substitui o Eth 1.0, só que de forma mais simples e sem os altos riscos de interferir em toda uma rede em uso”.

Barros explica que a Altair é a primeira atualização que acontece na beacon chain e que ela pode ser considerada um preparativo para a chegada do Ethereum 2.0.

“Acredito que o eth 2.0 irá dar uma folga a uma rede extremamente congestionada que hoje é financeiramente inviável para muitas aplicações. Como desenvolvedor, estou muito otimista. Tem muitos conceitos novos sendo introduzidos e muitas novas possibilidades de uso da rede”, conclui.

Como as alterações do protocolo do Beacon Chain são ativadas em uma época específica, a Altair será introduzida na época 74240, prevista para chegar às 8h da manhã do dia 27 de outubro.

Preparativos para a atualização Altair

Até o final do mês, todos os validadores e operadores do nó que rondam a beacon chain devem atualizar seu cliente de software para uma versão compatível com a Altair. “Não fazer isso resultará em penalidades por tempo de inatividade”, alertou a Fundação Ethereum. Caso não atualize, o validador “ficará preso em uma cadeia incompatível seguindo as regras antigas”.

Uma vez que a Altair será focada no mecanismo de consenso da beacon chain, os detentores de ether não precisam fazer nada. A atualização não vai afetar as contas do usuário final, os contratos ou o estado da cadeia de prova de trabalho.

Para garantir que a atualização do aconteça com segurança e sem problemas, a Fundação Ethereum dobrou as recompensas oferecidas aos desenvolvedores que encontrarem vulnerabilidades no código da Altair. No caso de bugs críticos, o usuário pode ganhar um bônus de até US$ 100 mil.

Fonte: Saori Honorato – portaldobitcoin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo