Notícias

Uepa lança edital do Programa Revalida para diplomas de universidades estrangeiras

O candidato que precisar de Estudos Complementares poderá atuar, por um ano, nos 16 municípios do Marajó

O lançamento e a divulgação do edital do Processo de Revalidação de Diploma de Graduação do Curso de Medicina, da Universidade do Estado do Pará (Uepa), ocorreram na tarde desta terça-feira (12). O diploma de Medicina de universidades estrangeiras deve ser revalidado para o exercício da profissão no Brasil, segundo determinação do Ministério da Educação (MEC). A revalidação só pode ser feita pelas universidades públicas brasileiras que ofereçam cursos reconhecidos no mesmo nível e na mesma área, ou equivalente.

Na solenidade, o governador Helder Barbalho destacou que esse é um projeto exitoso da instituição, e uma forma de reconhecer o trabalho dos profissionais que atuaram na linha de frente do combate ao novo coronavírus, atendendo ao chamado do Governo do Pará nos dois últimos anos. “Os médicos e profissionais de saúde enxergam, a partir do Revalida, a oportunidade de estar regular no solo brasileiro. Sabemos o quanto eles foram importantes em uma tomada de decisão em que nós vimos uma oportunidade de não permitir a escassez de médicos, principalmente nos hospitais de campanha”, ressaltou Helder Barbalho. 

O processo de revalidação é dividido em fases: Análise Documental e Pedagógica, Prova Teórica e Prova Prática de Habilidades Clínicas. Caso o candidato alcance, no mínimo, 50% do total de pontos da Prova de Múltipla Escolha, 50% do total de pontos na Prova Descritiva e 60% do total de pontos da Prova Prática de Habilidades Clínicas, terá alcançado a Equivalência Curricular e seu diploma revalidado pela Uepa.

Caso o candidato não alcance as pontuações mínimas, poderá concorrer a uma das 60 vagas para os Estudos Complementares. Essa fase tem como objetivo propor aos médicos que não alcançarem a pontuação para aprovação um período remunerado, com tempo de duração de um ano, nos 16 municípios da região do Marajó.

Comissão permanente – O reitor da Uepa, Clay Chagas, agradeceu aos representantes da Sectet (Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica) e Sespa (Secretaria de Estado de Saúde Pública) pela parceria no projeto. Ele também disse que agora “nós temos uma comissão permanente de Revalida. Temos a tendência constante, sempre que for necessário, de assumir esse processo. Queremos levar a Universidade para onde mais é preciso, e o Marajó é um lugar onde a gente quer os médicos atuando”.

Ao final do período, os 60 médicos farão outro exame para garantir a revalidação do diploma de médico. Carlos Augusto (Guto) Gouvêa, prefeito de Soure e presidente da Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó (Amam), agradeceu a atenção do governo com a região. “Nós temos uma oportunidade de crescimento muito grande e uma melhora na qualidade de atendimento em cada município, em cada localidade”, ressaltou o prefeito. Além disso, após a regularização do diploma os médicos poderão fixar residência na região e atender a população local de forma permanente.

As inscrições já estão abertas, e os interessados podem se inscrever até 05 de maio próximo, pelo endereço eletrônico https://www2.uepa.br/revalida2022.

A Uepa realiza a revalidação e convalidação de diplomas desde 2017 para diversos cursos de graduação e pós-graduação. Em 2019, foi iniciado o primeiro processo para a revalidação de diplomas do curso de Medicina. Em maio de 2021, 40 profissionais tiveram seus documentos revalidados.

Fonte: Agência Pará / Por Marília Jardim (UEPA)

Pará News

PARÁ NEWS®️, é um jornal online que cobre 24 horas notícias do estado e região.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo